Assine Receba Nossas Atualizações.

domingo, 17 de junho de 2012

Cúpula dos povos

,



A Cúpula dos Povos é um evento paralelo à Rio+20, organizado por entidades da sociedade civil e movimentos sociais de vários países. O evento acontecerá entre os dias 15 e 23 de junho no Aterro do Flamengo, no Rio de Janeiro, com o objetivo de discutir as causas da crise socioambiental, apresentar soluções práticas e fortalecer movimentos sociais do Brasil e do mundo.

O evento recebeu quase 23 mil inscritos, dos quais foram selecionados 15 mil representantes da sociedade civil, vindos de várias partes do mundo, em especial das Américas, Europa e norte da África. As inscrições individuais de pessoas interessadas em participar das atividades da Cúpula foram abertas em 29 de maio. Apesar de não ser obrigatória, uma contribuição de R$ 10 poderá ser feita pelos inscritos.

A programação da Cúpula dos Povos será dividida em vários eventos. O principal espaço político será a Assembleia Permanente dos Povos, onde serão realizadas atividades propostas por organizações ou movimentos sociais. Essas ações vão desde seminários, debates e oficinas até palestras, rodas de conversa e encontros. As inscrições para propostas encerraram-se no dia 5 de maio, com 1,1 mil atividades sugeridas, que seguirão para plenárias e assembleias.

As ações da cúpula serão norteadas por três eixos. Com a vertente de discussão das causas estruturais das crises e de falsas soluções, o evento pretende tratar os problemas sociais e ambientais chamando atenção para o poder de interferência das corporações e da iniciativa privada nas negociações da Rio+20.

Na opinião dos movimentos sociais envolvidos na Cúpula dos Povos, a pauta prevista para a Rio+20 oficial, a chamada economia verde, é considerada insatisfatória para lidar com a crise ambiental. Esse evento paralelo tem como objetivo dar voz às comunidades diretamente ligadas às regiões mais afetadas pelos problemas socioambientais da atualidade.

O segundo eixo é focado na apresentação de soluções e novos paradigmas dos povos. Para isso, será montado um segundo espaço, chamado de Território do Futuro. Nele, entidades e comunidades farão troca de saberes e educação popular e apresentarão experiências e práticas como solução para crises globais e construção da justiça social e ambiental.

As inscrições para os Territórios do Futuro também se encerraram em 5 de maio. As experiências serão expostas não só no Aterro do Flamengo, como em outros locais do Rio de Janeiro.

Por fim, por meio do terceiro eixo, de estimulo à articulação de organizações e movimentos para a luta social pós-Rio+20, a cúpula vai incentivar os grupos a integrarem agendas e campanhas. Haverá também espaço para atividades culturais e expressões populares. As inscrições se encerraram em 20 de maio.

O grupo responsável pela organização da Cúpula dos Povos é o Comitê Facilitador da Sociedade Civil Brasileira para a Rio+20 (CFSC). O comitê reúne uma grande diversidade de organizações brasileiras atuantes em várias áreas como direitos humanos, desenvolvimento, trabalho, meio ambiente e sustentabilidade.

O comitê é formado pelo Grupo de Articulação (GA), responsável pelas decisões e direcionamento político da Cúpula dos Povos; e o Grupo de Trabalho (GT), que planeja a metodologia, mobilização e comunicação da cúpula, além de sua relação com a Rio +20.

0 comentários to “Cúpula dos povos”

Postar um comentário

Obrigado por nos dar sua visita ela é muito importante para nós.
obrigado e volte sempre

 

SEGUIDORES DO G+

Seguidores

FACEBOOK

Agroecologia News Copyright © 2011 | Template design by JP DESIGN - Criação de Arte Digital | Powered by Blogger Templates