Assine Receba Nossas Atualizações.

segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

Manoel Xudu glosando o mote: Minha vida é um trem desgovernado, Sem destino, controle ou maquinista.

,


Minha vida é assim e nada muda
Nos vagões desse trem desgovernado
Onde sou carcereiro e apenado,
Guarda-freio ao léu pedindo ajuda.
Rogo a Deus lá do céu que me acuda,
No caminho de ferro dê a pista
E aponte no meio dessa lista
O astral da fortuna detalhado,
Minha vida é um trem desgovernado
Sem destino, controle ou maquinista.

Fui largado no meio do caminho,
Ambulante de mera fantasia,
Vivo assim sem registro todo dia
Enfrentando tufão, redemoinho,
Minha cama é feita de espinho,
Em vagão cruel e determinista,
Portador de bilhete fatalista
Que não leva ao destino desejado,
Minha vida é um trem desgovernado
Sem destino, controle ou maquinista.

O farol desse trem nada ilumina,
Deslizando nos trilhos da paixão,
Para sempre na mesma estação
De lembrança cruel que alucina,
Detonando dose de adrenalina
Na cabeça do pobre repentista
Que por isso só vive pessimista,
Sem alento e desorientado,
Minha vida é um trem desgovernado
Sem destino, controle ou maquinista.

Fonte:http://www.luizberto.com/repentes-motes-e-glosas/grandes-motes-grandes-glosas-e-um-fubanico-na-televisao#more-374611

0 comentários to “Manoel Xudu glosando o mote: Minha vida é um trem desgovernado, Sem destino, controle ou maquinista.”

Postar um comentário

Obrigado por nos dar sua visita ela é muito importante para nós.
obrigado e volte sempre

 

SEGUIDORES DO G+

Seguidores

FACEBOOK

Agroecologia News Copyright © 2011 | Template design by JP DESIGN - Criação de Arte Digital | Powered by Blogger Templates